Crônicas do Quotidiano

O amor é o meu tema. Aqui você encontra Poesia, textos sobre a vida, textos de amor, frases bonitas, declarações de amor

Para a minha Leoa — outubro 9, 2017

Para a minha Leoa

Tô com saudade da tua forçatatuagem de leao
De conversar por horas sem precisar detalhar nada pois tudo entendemos, tudo sabemos uma da outra
Saudade do jeito que nos enxergamos
Da força que me dá quando me lembra quem eu sou, quando me reconta a minha própria história
Saudade do que vê em mim quando eu esqueço
Saudade de te olhar, ouvir três palavras e saber, no fundo, e com certeza inabalável, que tudo há de dar certo
Como já disse, se eu matasse alguém, seria você que chamaria para esconder o corpo comigo, tamanha a nossa cumplicidade

Cúmplices de uma vida inteira. Diferentes e iguais
Tem coisas que acontecem para nos convencerem da existência de um plano maior. No pior momento nos conhecemos, nos juntamos, trocamos os curativos das nossas feridas e nunca mais nos separamos. Acho que você é meu casamento mais bem-sucedido, ria!

Fomos embora para o mesmo lugar, seguimos vidas diferentes embora com os mesmos  objetivos. A gente sempre quis a mesma coisa e acho que por isso tanta afinidade
A saudade não cabe no peito, minha leoa, preciso mais das tuas palavras do que talvez jamais tenha precisado. A gente cresceu, não é mais adolescente embora, às vezes, a vida nos traga de volta às mesmas situações.
Não conheço ninguém com a metade da nossa força, da nossa coragem e da nossa vontade de dar certo.
Em alguns momentos, preciso lembrar que tem alguém parecida comigo a 800 km daqui pra não ficar tão deslocada
Não sei como serão os próximos quatro anos mas esse primeiro doeu na carne a falta das tuas palavras, do teu olhar que me enxerga como eu preciso me ver: capaz
Leoa, queria umas horas contigo pra refazer a minha força, a minha fé e a minha coragem, que sempre resgatamos quando juntas
Contento-me na espera relembrando Marthinha: “dois amigos assim ninguém tem, se tiver um, amém!” Então amém, e que as forças cósmicas me ajudem a sobreviver até o nosso reencontro.

Anúncios
De peito aberto — agosto 16, 2017

De peito aberto

tatuagem abaixo do peitoEra bom ficar só

Libertador e tinha muito de mim

Às vezes, era demais de mim, até

Um oceano inteiro de tudo o que sou

Eu em todos os cantos, no infinito espaço que posso ocupar e, creia, sempre fui espaçosa

Mas apesar de não ter barulho, tinha medo

E silêncio…  porque silêncio era tudo de que precisava naquele momento

Agora tem barulho. Tem gente. Tem tudo de que fugi uma vida toda.

Tem mãe, com todas as dores e delícias que isso possa representar

Tem adolescência de volta porém sem todas aquelas inseguranças

Tem amigos, risadas, fotos impublicáveis

Tem eu, toda segura, fazendo tudo o que temia

Sabe o carro manual? Tô dirigindo. E muito.

Perdendo a frescura, comendo cachorro-quente de rua e tomando até rum quente

Tem eu me reencontrando e aprendendo a lidar com pessoas

Teu eu aqui, em pé, de peito aberto, abraçando o que vier porque, de agora em diante, nada me derruba

Tem os boys (ah, os boys!), de um jeito que não desconcerta nem distrai, que passa, uma travessura sem importância

Não tem a sacada com o mar nem inúmeras garrafas de vinho chileno derrubadas em taças de cristal

Tem cerveja barata servida em copo de plástico em bar bem mais ou menos

e, surpreendentemente, “tá bom pacas”

Estou muito bem acompanhada

E feliz por nada

Tem eu aqui descobrindo que dá pra ser eu, inteira, tudo de mim, mesmo entre outros

Felicidade não é uma sorte, é escolha

E quando a escolhi, ficou fácil me levantar.

Bater a porta — maio 24, 2017

Bater a porta

coragemVocê pode tentar encontrar mil desculpas: os filhos, a casa, os bens, a sociedade na empresa… mas a verdade é que nada no mundo
pode nos prender a um relacionamento falido além da nossa própria falta de coragem.

Arrumar as malas, bater a porta, deixar alguém chorando e gritando para trás não é fácil entretanto será uma vez só; já a frustração de ficar, ao contrário, é diária e recorrente.

De tatuagens, marcas e reentrâncias — maio 1, 2017

De tatuagens, marcas e reentrâncias

Crônicas do Quotidiano

As minhas marcas, a partir de agora, escolho eu. Minha primeira tatuagem fará aniversário no mês que vem, junto comigo. Lembro que foram anos de argumentação para convencer a minha mãe a assinar a autorização [na época eu era menor de idade]. Meu melhor argumento, indubitavelmente, foi uma comparação entre as marcas de dentro e as de fora.

A gente carrega cicatrizes pela vida afora, alguém que descontou as frustrações em cima de você, outro que foi embora quando você mais precisava que ele ficasse, um namorado que te traiu, uma amizade que se desfez por bobagem, um laço que se rompeu, alguém que a vida [ou a morte] levou muito depressa e te faz falta todos os dias…

Então, quando se olha pra dentro, está tudo sulcado fundo, aparente, visível com clareza, muitas vezes, até os outros enxergam. Está lá a tua dor estampada, bordada em neon e não…

Ver o post original 206 mais palavras

Só me contentarei com o melhor — abril 19, 2017

Só me contentarei com o melhor

santeÉ necessário uma coragem descomunal para mudar, para sair da zona de conforto contudo é o único jeito de buscar a felicidade: movendo-se. Arrumar as malas, as caixas, colocar coisas fora, dirigir sem parar por horas a fio me exigiram uma força que não acreditava ainda ter. Mas tinha. E tenho mais.

E agora tem novas risadas, novas conversas, novas pessoas. Tem eu aqui, quase inteira, tem toneladas de livros para ler porque afinal, a publicitária decidiu virar juíza e para início de conversa, tinha que cursar Direito, cujas leituras de uma cadeira somam mais que o curso inteiro de Comunicação. Bom, eu precisava de entretenimento, e só me contentarei com melhor.

Não foi tragédia, foi livramento. Não me casar com você foi um presente, tive que me reinventar e creia, está sendo revelador.  Dolorido, por vezes, mas tenho evoluído mais em um ano que talvez na última década, você não entenderia.

Obrigada por reconhecer o quão pouco poderia agregar à minha jornada. Obrigada por enxergar o que eu não via. Tudo está no seu lugar. E não poderia estar melhor.

Santè!!!

Que bom seria se… — novembro 4, 2016
Bordeaux — outubro 30, 2016

Bordeaux

tattoo de corpo inteiro femininoUma amiga, mais cedo, interpelou-me se eu não andava saindo para a balada, já que tenho recusado, recorrentemente, aos seus convites. E confesso, não são apenas os seus mas os convites de um modo geral. Alguém, sabiamente, uma vez me disse, que eu deveria me salvar de morar sozinha com urgência, pois não há nada melhor e, por consequência, nos tornaria anti-sociais. Não me salvei a tempo e sete anos se passaram de ótima convivência.

Quando penso em balada, penso em fila, aperto, abordagens deselegantes, copos de plástico e banheiros menos limpos do que eu gostaria. O que me faria aguentar tudo isso? -Bon Jovi, Metallica, Chico Buarque e Djavan e, creiam, eles não se apresentam com tanta frequência por aqui. Portanto, reservo-me ao meu vinho tinto na sacada, olhando o mar na sua plenitude de ressaca (assim como a minha alma)  e cálices de cristal trazidos de viagem.

A idade traz o que Martha Medeiros chama de “seletividade”, você não vai a qualquer restaurante, não compra qualquer roupa e não é qualquer barato que diverte. Regata de ribana é cafona, restaurante fast food, você passa e cerveja em copo plástico, Deus castiga.

Criolo diz que “os bares estão cheios de almas vazias” e concordo com ele, portanto, me deixe com meu Bordeaux, safra 2009, na sacada, meu semblante contemplativo, meu livro a tira-colo e minha vida acadêmica proselitista. Sou feliz e completa, encontre-se. Seus problemas comigo são de sua inteira responsabilidade, faça bom uso dos mesmos.

Como Já Escreveu Vinícius… — outubro 24, 2015

Como Já Escreveu Vinícius…

tatuagem feminina caveira

Aos que me conhecem, sabem como aprecio os nossos poetas e portanto, faço minhas as palavras de um dos homens da minha vida (sim, na adolescência sonhava ter sido uma das musas de Vinícius de Moraes).

Quando me perguntam porque ando tão quieta, é porque a vida está agitada, coração cheio de amor, fazendo malas, novos rumos, meus velhos e lindos amigos retornando. Ando muito feliz, não há nada para desafogar daqui por enquanto. Fica meu plágio confesso do intenso Vinícius de Moraes, um homem que não aceitava viver sem paixão, famoso por seus nove casamentos, devotado de corpo e alma às amadas enquanto o amor durasse.

Diplomata, boêmio, fumante e sempre apaixonado, um homem que nunca aceitou viver com menos do que merecia. Nisso, poetinha, somos iguais. Se não for para morrer de amor, que venha o próximo!

A UM PASSARINHO

Rio de Janeiro , 1946

Para que vieste
Na minha janela
Meter o nariz?
Se foi por um verso
Não sou mais poeta
Ando tão feliz!  (…)

MORAES, Vinícius de

Protegido: TAG: um pouco mais sobre mim — agosto 1, 2015
Através — julho 15, 2015
Climatização Lumertz

O seu lugar na Web sobre Ar-condicionado!

O Que Eu Quero Que Você Pense

Tem um Blog. Tem um Garoto. Tem o Blog do Garoto. E tem sempre uma inspiração.

livrosefatos.wordpress.com/

Bem vindo ao meu mundo! Divirta-se com as melhores dicas de livros, filmes, decoração, mensagens de amor para sua vida!

Moloko com Vellocete: Poesias e Outros Devaneios

A vida também é abstração! E para alimentar este fato, propõe-se uma viagem por onde seja mais fácil perder-se das amarras da realidade. Entre neste mundo paralelo e eleve o espírito para um espaço além do óbvio. "Tempus adest floridum" para todos!

Eurico Gomes

Sobre ler e viver!