campanha 021Eu me lembro de um sotaque que me remetia ao RS. Cada vez que ele abria a boca eu sentia o Minuano cortar numa manhã fria do pago. A voz simpática que se pronunciava do fundo da aula do Praxedes.

Me lembro de uma pele alva e um “telhado” meio desgastado pelas tempestades da vida

Um bom-humor que o faz leve

Lembro de um cara bacana, que no meio dum boteco, em frente a um copo de Antarctica, me disse acreditar em instituições falidas para o mundo moderno: o amor, o casamento. Me confessou as ambições de ser radialista e marido. Pai.

Lembro de alguém corajoso o suficiente pra abrir a própria estrada rumo aos seus planos mesmo quando todos pensam que já devia ter-se acomodado.

Rememoro um incansável na busca pelo que se determina. Capaz de se doar por coisas nas quais a maioria não aposta. De amar os “dogs”e ouvir meus segredos.

Lembro das escolhas erradas no quesito mulher. Passado. Da sensibilidade exacerbada.

Lembro dos bons conselhos  e os puxões de orelha no meio da brincadeira. De como só ele assa um abacaxi com canela. Ou canta música sertaneja enquanto dirige.

Vejo um canto na sala de aula que sempre parecerá vazio desde sua partida rumo à “capital do mundo”…

Penso no amigo querido a quem dedico tamanha admiração. No blogueiro inspirador da minha caminhada, também, pela estrada lírico-cibernética.

Penso. Torço. Alegra-me saber sua felicidade. Alegra-me saber que encontrou quem mereça sua dedicação. Encontrou seu diamante [depois de tanta brita]. Mas abriu, antes, seu caminho e seu lugar. Abriu, de quebra, lugar no meu coração.

Alegro-me e não nego: “sinto falta de você e a palavra que me cura ninguém vai dizer”…

 

Feliz Aniversário, Luciano!!!

Anúncios