the_anti_barbie_b Ontem, enquanto esperava que, milagrosamente o telefone tocasse, tentava descrever como me sentia. Não consegui. Pelo menos, minha memória me proporcionou uma grata surpresa. Lembrei o trecho dum livro lido em 1998 [bem fraco, por sinal]. Putz, 10 anos se passaram…e consegui transcrever fielmente o bilhete de “ O homem amoroso”. Sem mais delongas, ficam as limhas supracitadas que me traduziam à espera do telefonema que não veio…

 

 

“A ninguém preciso dizer adeus

Nenhum espaço formará lugar de ausência

Pois a presença jamais tomou algum espaço.”

 

Anúncios