Foi só chegar a Páscoa que voltaram à baile aqueles dados de pesquisas absolutamente descontextualizadas relacionando sexo e chocolate. Nelas, a maioria das mulheres responde preferir a segunda opção. E então viramos chacota de pesquisadores misóginos que nos classificam a partir de tais dados como simplórias.

                                    Alguém questionou depois dessa pergunta infeliz se a criatura preferia o chocolate ao sexo que estava tendo atualmente ou sexo em geral? Sexo acompanhada ou sozinha? Ou pelo menos perguntou se ela não tinha alguma disfunção sexual? Não se esqueçam que o orgasmo feminino é uma “invenção” das últimas décadas, em algumas partes do mundo ainda se mutilam mulheres para evitar seu prazer. Na década de 70, mais de 60% das mulheres não atingiam orgasmos. Atualmente, mais de 50% delas têm algum tipo de disfunção sexual. Eu mesma sofria de anorgasmia até um tempo atrás e não fazia idéia do que estava errado comigo.

                                     Se prefiro um Amaro a sexo[referindo-me ao sexo acompanhada, neste caso]? Bem, meus caros, depende do sexo. Quando o parceiro é ruim no negócio, não há malabarismo que salve do desastre. Aos misóginos de plantão, é bom que saibam: em determinadas posições, se desempenho da criatura é ruim, temos vontade de tirar a lixa de unha da bolsa e usá-la para aparar o cantinho quebrado só então percebido. Ou ficamos lá, olhando para o teto e fazendo lista de compras mentalmente, tamanho o enfado. São momentos em que os bombons seriam bem-vindos.

                           E não estou falando das “mulheres-estrela”[elas se deitam, abrem braços e pernas e esperam que o parceiro jogue pelos dois times e ainda faça gol], falo das atuantes no espetáculo. Mesmo essas, se o cara não for pelo menos razoável , têm chances mínimas de se divertirem realmente.  

                           Se eu tivesse entrado na pesquisa , e me perguntassem do sexo atual, diria chocolate. Em março, sexo. Em fevereiro, chocolate. Em janeiro, sexo, dezembro, sexo. Novembro? –Bem, novembro nem mesmo um caminhão de chocolate substituiria o sexo [saudade do “tipo Cirque Du Soleil”!!!].

                           No fim das contas, o chocolate só é preferido porque não depende de tantos fatores quanto o sexo. Sexo depende do parceiro, do nível de stress, do entrosamento, da novidade e muitas outras coisas. Se qualquer deles falhar, o aproveitamento tende a diminuir. Chocolate não, até meio derretido pelo calor dum verão infernal, ainda é só abrir a embalagem e mandar ver. A serotonina será produzida e dá-lhe prazer instantâneo, nunca falha.

P.S.: a pintura renascentista é obra de Tiziano Vecellio e se chama Vênus de Urbino.

Anúncios